26
dez 2013
Postado por: 0 Comentário

A dermatite atópica (DA) é uma doença de pele, crônica, inflamatória, que afeta pacientes cujas idades vão de neonatos até idade adulta. O início se dá sempre nos primeiros 5 anos de vida aproximadamente 10% a 15% das crianças são afetadas. A doença é notória pela sua tendência recalcitrante e recorrência crônica.

A patogênese da dermatite atópica ainda não esta totalmente esclarecida, porém evidências sugerem que estão envolvidos mecanismos de resposta celular e humoral. As células de Langerhans podem iniciar tanto a resposta humoral com a síntese de imunoglobulina IgE, como aquela celular com a formação do linfócito “T helper” aumentando a liberação de itoquinas (especialmente IL-5) e também o aumento de eosinófilos que é crítico para a formação do eczema.

Tratamento

Cuidados com a hidratação são essenciais no manejo do paciente com dermatite atópica. A situação ideal consiste em usar o hidratante logo após o banho pelo motivos citados a seguir:

– limpa a pele, reduzindo a carga bacteriana
– limpa e aumenta o estrato córneo
– aumenta de 5 a 10 vezes a penetração de corticosteróides tópicos na epiderme
– requerem uso adequado de emolientes, idealmente o petrolato e loções cremosas
– necessitam aplicação de emolientes e medicações dentro de 3 minutos após o banho para reter a hidratação (regra dos 3 minutos)

Os corticóides sistêmicos, embora ativos devem ser evitados devido ao risco de osteopenia, catarata, hipertensão, entre outros. O corticóide tópico é necessário principalmente na atividade do eczema atópico e devem ser seguidas as seguintes determinações:

– esteróides são a única medicação tópica efetiva
– a maioria das dermatites atópicas requer uso de esteróides de média potência
– fatores críticos são: potência adequada, freqüência e hidratação; veículo ideal; quantidade prescrita adequada, sem excesso
– o objetivo a ser atingido para tratamento prolongados e da através do uso de esteróides duas vezes por semana.